segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Um Amor de Verdade!

(...)Certo dia, Jorinda e Joringuel foram passear na floresta e a bruxa transformou a pobre Jorinda em pássaro!
Joringuel era muito corajoso e decidiu atacar o castelo da bruxa, mas desistiu, porque se se aproximasse demais, seria transformado em estátua!
Joringuel passou a viver desesperado e até os pais se preocuparam, pois já não comia, nem dormia.
Um dia Joringuel perdeu a cabeça e resolveu ir buscar a sua amada. Chegou junto do castelo da bruxa e, sem se aperceber, aproximou-se e ficou transformado em estátua!
Jorinda começou a piar uma melodia muito triste e Joringuel começou a chorar, mesmo transformado em estátua!
A bruxa nunca tinha visto uma estátua chorar, por isso, ficou comovida e vendo um amor tão verdadeiro, deixou-os partir.
Eles casaram-se e foram felizes para sempre.
Amilton, 6ºJ

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Tony recupera o seu AMOR!

Era uma vez um miúdo muito triste e desanimado com a vida! Perdera a sua grande paixão e já nada lhe interessava! Estava na escola, mas o seu espírito não estava lá!Até o seu lápis e a sua borracha se aperceberam disso!
-Já não consigo ler os seus pensamentos e pô-los no papel!-lamentou-se o lápis. Mas o que tem ele?
-Já não gosta de nós, é o que é!-afirmou a borracha!
-Isso é um grande disparate! Ele adora-nos! Deve estar chateado com alguma coisa...
-Vamos animá-lo. Podíamos comprar alguma coisa de que ele goste.
-Sim, és capaz de ter razão...Talvez resulte.
-Lembras-te daquela rapariga, de quem ele gosta?
-Claro que sim! É tão linda! Só não percebo por que razão acabaram tudo! Faziam um par tão lindo...
-Tenho uma ideia...em vez de ir às compras...vamos convencer a rapariga a voltar a namorar com o Tony.
-De repente, ficaste louca? Nós somos objectos! Nem sequer sabem que falamos! Os humanos não podem saber disso!
-Então...talvez pudéssemos escrever cartas de amor. Ela iria pensar que foi ele e...em menos de nada...voltamos a ter namoro!
-Amor?! Mas o que é o Amor?!
-Deixa lá...depois explico-te, mais tarde...Vamos mas é escrever as tais cartas e fazê-las chegar ao seu destino.
Assim fizeram e o plano resultou...
-Olha lá, não ficam lindos juntos?-exclamou o lápis.
A borracha até ficou emocionada e abraçou o lápis...assim surgiu um novo amor.
Isabel, 6ºJ

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

A velha e a cabaça: 6ºJ

Dona Maria Carapau,no dia seguinte,foi ao mercado e encontrou a amiga Maria Bacalhau...
-Ontem, nem imaginas o que me aconteceu!!
-O que foi!! O que foi!! Conte lá mulher, que já estou preocupada!
-Depois do almoço,veio-me à ideia ir visitar os meus netinhos do meu coração. E pensei cá comigo, vou mas é pela serra, que é mais perto.
-Cruzes! Credo! Pela serra? Deves estar mas é maluca!
- sabes como eu sou...uma mulher corajosa.
-Então... Conta lá como é que escapaste dos lobos?!
-Primeiro inventei-lhes uma história, dizendo que lhes trazia um belo arroz-doce no regresso...
- Então, e para voltares para casa? Como conseguiste enganar os lobos?
-Tu nem vais acreditar! Meti-me dentro de uma cabaça! Só se me viam as botas...trupe, trupe, trupe...por aquela serra abaixo! passei por eles, disfarcei a voz e até lhes cantei uma canção!
-Sempre me saíste muito inteligente! Por isso é que te chamas Maria Carapau! Ah, pois é!
-Devias ver os parvos dos lobos, a ouvir:
"Roda, roda cabacinha,
Não vi velha, nem velhinha!
Roda, roda cabação,
Não vi velha, nem velhão!"
- Pois...gostava de ter visto! Ainda devem estar à espera que alguma velha lhes traga arroz-doce! Ah! Ah! Ah! Bem...mas agora, vou andando que se faz tarde e tenho de ir fazer o almocinho ao meu Bartolomeu.
-Adeus, vizinha, Até outro dia.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

A Menina do Mar!


Primeiro vimos a adaptação da obra de Sophia de Mello Breyner, num musical de Filipe La Féria, depois copiámos e ilustramos o poema:" No fundo do Mar"...

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

"A velha e a cabaça"


" A velha e a cabaça"

A partir do conto tradicional: "A velha e a cabaça", o 6ºK imaginou um diálogo bem cómico, em que a velhota conta a uma amiga o sucedido, quando se encontram no mercado.
No dia seguinte, a dona Josefina foi ao mercado e encontrou a sua amiga Gertrudes.
-Oh, minha rica amiga...nem imaginas o que me aconteceu ontem! Ainda sinto as pernas a tremer!
-Conta lá, conta lá, que me deixaste curiosa e preocupada!
-Então, não é que ia ver os meus netinhos e decidi ir pelo caminho mais curto, pela serra, mas dei de caras com um lobo!
-Não! Não posso crer!Até me custa a acreditar...
-Acredita, acredita, que foi bem verdadinha!
-Então e como te safaste dessa? O lobo não te comeu?
-Oh, mulher, se me comesse não estava aqui!-(gente burra, pensa Josefina!)
-Então, diz lá como é que passaste pelos lobos e eles não te viram?
- Os meus netos, que são gente esperta, graças a Deus, deram-me uma cabaça do meu tamanho, vê bem tu! E pronto, meti-me lá dentro e passei por eles a cantar. Fiz-lhes uma música de rap, que até ficaram parvos! Isto comigo é sempre assim: certinho, direitinho...

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Sophia de Mello Breyner





Fundo do mar




No fundo do mar há brancos pavores,
Onde as plantas são animais
E os animais são flores.

Mundo silencioso que não atinge
A agitação das ondas.
Abrem-se rindo conchas redondas,
Baloiça o cavalo-marinho.
Um polvo avança
No desalinho
Dos seus mil braços,
Uma flor dança,
Sem ruído vibram os espaços.

Sobre a areia o tempo poisa
Leve como um lenço.

Mas por mais bela que seja cada coisa
Tem um monstro em si suspenso.




quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Quem somos nós?

Somos turmas de Percursos Alternativos e tivemos a ideia de criar um Blog, com o apoio dos nossos professores, para mostrar aquilo que vamos fazendo.
A escolha do nome não foi fácil, mas o 5ºJ criou um jogo de palavras: Blog e Percursos, inventando este nome...Aguardem, pois o Bloper vai dar que falar...

pYzam Page Pets
FreeFlashToys Page Pets